Astronomia > Notícias

Câmera do observatório espacial "Hubble" pára de funcionar

(1/1)

PauloSantos:
Uma das câmeras mais modernas do telescópio espacial "Hubble" parou de funcionar, mas as observações científicas serão retomadas esta semana com os instrumentos restantes do observatório, informou hoje a Nasa.

Um comunicado da agência espacial informou hoje que o observatório entrou em repouso no Sábado e uma investigação inicial revelou uma falha do seu sistema eletrónico.

O problema, aparentemente devido a um curto-circuito, afecta a "câmera avançada de traçado" (ACS, em inglês), que em condições normais capta extensas imagens do céu.

"Estamos decepcionados devido à popularidade da ACS entre os astrónomos", disse em entrevista colectiva por telefone Preston Burch, cientista da Nasa.

No entanto, Burch garantiu que "o telescópio conta com um sistema muito robusto e uma capacidade científica importante. Continuaremos a utilizar as suas capacidades ao máximo".

Dois elementos da câmara deixaram de funcionar há muito tempo. A única possibilidade de recuperar os equipamentos é com uma missão de conserto, acrescentou Burch.

Durante a missão, prevista para Setembro do próximo ano, os astronautas deverão instalar mais dois instrumentos, novos giroscópios, baterias e isolamentos térmicos.

O Hubble, que enviou mais de 100 mil imagens do Universo e confirmou a teoria dos buracos negros, entre outras descobertas, tem sido um dos instrumentos mais prolíficos da astronomia moderna. A câmera ACS foi instalada em Março do 2002 e desde então Tem sido o seu instrumento principal.

Em 2003, captou a imagem mais profunda do cosmos existente até agora, mostrando fragmentos da galáxia que surgiram entre 1 e 2 mil milhões de anos depois do "Big Bang", que deu origem ao universo, segundo a teoria científica mais aceite.

No entanto, a câmera estava a funcionar com um sistema eléctrico de emergência desde meados do ano passado, disseram fontes da agência espacial.

Fonte: Agência EFE in Yahoo News

Navegação

[0] Índice de mensagens

Ir para versão completa