Autor Tópico: [Organização] StarParty Galáctica - 2009 - Parte 1  (Lida 2141 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline Rui Padrão

  • Astro-Curioso
  • **
  • Mensagens: 143
  • Karma: +0/-0
    • Ver Perfil
Re: [Organização] StarParty Galáctica - 2009 - Parte 1
« Responder #15 em: Setembro 04, 2008, 06:17:33 pm »
Estava a pensar em sugestões para a 2ª Starparty e lembrei-me que fins de Março é a altura ideal para se fazer uma maratona de Messier. Que acham?

Nunca achei grande piada à ideia de observar à pressa, mas é como um daqueles rituais de passagem para a idade adulta. Astrónomo que se preze tem que  ter feito pelo menos uma maratona de Messier uma vez na vida.  :D

Não sei se alguém aqui já fez, se aconselham ou se, pelo contrário, depois de ver uns 10 ou 20 objectos já se torna um sacrifício...

É apenas uma sugestão. Nem sequer sei se me apetece muito passar a noite nisto, mas fica à consideração...
« Última modificação: Janeiro 01, 1970, 01:00:00 am por Guest »

Offline meteoropt

  • Astro-Curioso
  • **
  • Mensagens: 175
  • Karma: +0/-0
    • Ver Perfil
    • http://rastosdeluz.astronomo-amador.com
Re: [Organização] StarParty Galáctica - 2009 - Parte 1
« Responder #16 em: Setembro 06, 2008, 01:49:18 am »
Citação de: "jaclerigo"
Paulo, aí tens toda a razão. Enquanto não houver capacidade de fazer coisas maiores é preferível fazer pequeno, mas bem. Isto porque há sempre o problema, e parece que me estou sempre a repetir, da logística. Esta parte é sempre composta por: pessoas com vontade de trabalhar e com capacidade organizativa e locais com condições mínimas. Sem estas bases, eu acho, que não vale muito a pena realizar estes eventos.

... e toda a ajuda é sempre bem vinda.

O grande problema dos colaboradores voluntários que queiram colaborar na organização é que têm que ter em mente que, por norma, estes encontros não são para os "colaboradores" mas para os que "participam" no evento.

E isto porquê?

Porque o colaborador que faça parte efectiva da organização tem de dedicar o seu tempo durante o evento em colaborar na organização e poderá não poder usufruir do evento em si na sua totalidade. Por isso, há que definir papeis e responsabilidades dentro dessa equipa. Isto afasta obviamente alguns "voluntários"...

Pois, essa é sempre uma questão muito importante e problemática...lembro-me que nos meus tempos de escuteiro participei na organização e na aplicação prática de actividades com alguns milhares de elementos, e nessas, fosse qual fosse o local a que estava destinado (serviço,comunicações,web, etc), era muito díficil participar plenamente na actividade. Normalmente havia sempre uns ânimos mais exaltados, também por vezes directamente proporcionais ao cansaço a que estávamos sujeitos (e ao stress).
Para ser franco, penso que esta ideia da Starparty irá crescer por si mesma, mesmo andando devagar e certo, como convém nestas coisas. Mesmo num cenário em que se mantenham os métodos de divulgação, ela irá sempre crescer...do núcleo de pessoas que foi à primeira, uma percentagem grande irá à segunda...alguns não irão, mas outros membros novos que vão aparecer aqui, lá irão estar. Dos que foram à primeira e irão à segunda, alguns irão levar a namorada, um ou outro amigo, e assim por diante. Posto isto há sempre ideias novas que surgem para aproveitar esta dinâmica, novos processos, etc. Existem aqui algumas coisas que me parecem essenciais...em primeiro lugar, é nestas primeiras edições que se define o núcleo de tarefas basilares do mesmo, aquelas que são quase dogmáticas existir, quer ao nível de logística, quer ao nível de infraestruturas. Da eficiência com que este núcleo duro funcionar, resulta a evolução positiva nos anos seguintes, através das lições retiradas. Para estas tarefas, há pessoas que devem surgir numa equipe, para cada uma delas, dentro do espírito que o João afirmou...it's a dirty job, but someone has to do it :) A experiência acumulada por essas pessoas é fundamental para que no futuro, existe uma dinâmica positiva. Depois poderão existir voluntários que vêm ajudar um pouco mais ou um pouco menos, mas pelo menos integram-se num núcleo duro de tarefas e pessoas bem estruturado.
Por isso, na minha modesta opinião pessoal, penso que a Starparty 2009 deve ainda estar fundamentada nesse núcleo duro de tarefas e actividades, obviamente trazendo também alguma novidade, mas o basilar, o core, deverá ser o que se fez este ano (por vezes na Astronomia todos querem fazer coisas bonitas e fantásticas, e acabam por acontecer algumas coisas lamentáveis). Deverão existir mais alguns colaboradores de raíz "à João" :) para solidificar também a experiência nestas coisas. Outra coisa que me parece importante é estudar bem a sociedade local do sítio para onde se vai, para ver quem pode ajudar em determinadas áreas...por exemplo, para logística e infraestruturas, os agrupamentos de escuteiros são óptimos para ajudar. Em troca, por exemplo, os elementos que nos ajudarem podem fazer as suas provas da insígnia de Astronomia (que não é nada complicada)...em outras actividades, por exemplo, sensibilizar professores de escolas da região, o que pode originar a presença de juventude, e até motivar algumas actividades engraçadas...são alguns pontos de reflexão num mar de muitas coisas que podem ser feitas paralelamente ás coisas mais formais na organização destas coisas...

Bom...agora é hora de dormitar um pouco. Daqui a uns diazitos volto a escrever mais alguma coisa sobre isto, que este foi mais para complementar a ideia do João.

Céus Limpos :)

Paulo
« Última modificação: Janeiro 01, 1970, 01:00:00 am por Guest »
Paulo Heleno
Editor "Rastos de Luz"
http://rastosdeluz.astronomo-amador.com