Autor Tópico: Saturno: cientistas descobriram lagos de etano  (Lida 553 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline João Clérigo

  • Administrador
  • Astro-Avançado
  • *****
  • Mensagens: 1693
  • Karma: +1/-0
  • Sexo: Masculino
    • Ver Perfil
Saturno: cientistas descobriram lagos de etano
« em: Agosto 01, 2008, 11:25:43 am »
Cientistas confirmam que existem lagos em Titã, uma das luas de Saturno, que contêm hidrocarbonetos no estado líquido. As observações foram feitas pela sonda internacional Cassini.

“Esta descoberta faz de Titã o único corpo conhecido do nosso sistema solar que, para além da Terra, tem líquido na sua superfície”, diz a NASA

O Laboratório de Propulsão por Jacto (JPL) da NASA gere a missão Cassini que está a explorar Saturno, os seus anéis e as luas. "Os cientistas identificaram positivamente a presença de etano", lê-se no comunicado da JPL.

A lua tem 5150 quilómetros de diâmetro, é o segundo maior satélite do sistema solar e é maior do que Mercúrio. A temperatura média do ar é de aproximadamente 180 graus célsius negativos. Pensava-se que a lua estava coberta por um enorme oceano de hidrocarbonetos, que a temperaturas tão baixas poderiam existir em estado líquido e gasoso.

Mas a Cassini, que já efectuou mais de 40 passagens sobre Titã, provou que não existe um oceano global. Os registos geográficos mostravam que a superfície estava coberta por aquilo que pareciam ser inúmeros lagos escuros. Até agora não se sabia se estas depressões eram líquidas ou formações rochosas muito escuras.

“Esta é a primeira observação que realmente conclui que Titã tem lagos de superfície cheios de líquidos”, disse Bob Brown da Universidade do Arizona, em Tucson. O cientista é quem coordena a equipa técnica que controla os instrumentos da Cassini que observam e mapeiam Titã.

O lago ficou com o nome de Ontario Lacus, situa-se na região polar, no sul do satélite e mede cerca de 20.000 quilómetros quadrados. Os instrumentos identificaram os compostos químicos do lago através da forma como estes compostos absorvem e reflectem a luz infravermelha.

A atmosfera de Titã é 95 por cento de azoto, e o resto é metano. A luz do sol faz com que o metano seja degradado em etano e outros hidrocarbonetos que podem estar em estado líquido. Existem muitas evidências de um ciclo de evaporação, chuva e canais formados pelo escoamento destes líquidos que acabam por formar lagos na superfície.

“Durante os próximos anos, os vastos sistemas de lagos e mares do pólo norte de Titã que estão mapeados com o radar da Cassini vão emergir da escuridão polar para a luz, oferecendo aos instrumentos muitas oportunidades para observar as alterações sazonais dos lagos”, disse Larry Soderblom, um cientista do “U.S, Geological Survey” em Flagstaff no Arizona, que também está a trabalhar com a Cassini.

A Cassini foi lançada em 1997, chegou a Saturno em meados de 2004 depois de percorrer 3,5 mil milhões de quilómetros. A missão é um projecto da NASA em parceria com as agências espaciais da Europa e da Itália. Os resultados descobertos vão ser publicados hoje na revista científica “Nature”.

In Publico
« Última modificação: Janeiro 01, 1970, 01:00:00 am por Guest »
Cumprimentos,
João Clérigo