Autor Tópico: ENCONTRADA UMA GIGANTE CRATERA POR BAIXO DE ANTÁRTICA.  (Lida 1083 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline PauloSantos

  • Grupo Galáctico
  • Astro-Avançado
  • *****
  • Mensagens: 1541
  • Karma: +0/-0
    • Ver Perfil
ENCONTRADA UMA GIGANTE CRATERA POR BAIXO DE ANTÁRTICA.
« em: Junho 12, 2006, 03:12:31 pm »
Uma cratera gigante foi descoberta na Antártica por via de medições gravitacionais a partir do espaço. Esta levou os geólogos a especular que o grande meteorito foi o que causou a maior extinção em massa na história da Terra e que causou a quebra de um antigo supercontinente, formando a Austrália.

Estas medições foram obtidas pelos satélites GRACE e mostram uma estrutura com 483 km de diâmetro que está agora escondida sobre 1.6 km de gelo.

Ralph von Frese, da Universidade Estatal do Ohio nos EUA, e colegas, dizem que a cratera Wilkes Land (nome da região em que se encontra) tem o dobro do tamanho da cratera Chicxulub na península de Yucatan no México, que marca o impacto que se pensa ter morto os dinossauros há 65 milhões de anos atrás.

Enquanto o meteorito que criou a cratera Chicxulub pensa-se que tenha tido 9.6 km de diâmetro, o meteorito da Antártica poderia ter tido até 48.3 km.

A determinação da idade da cratera é uma tarefa complicada, mas os cientistas já indicam alguns números. A cratera é cortada pela fenda que se abriu para formar o Oceano Índico, o que significa que tem mais de 100 milhões de anos.

E von Frese diz que as crateras de impacto mais antigas que o começo do período geológico Cambriano - há 543 milhões de anos atrás - já não têm anomalias gravitacionais. "São como feridas - grandes no começo mas ficam mais pequenas com o passar do tempo," diz, à medida que a crosta sofre erosão e encolhe para preencher a depressão.

Entre estas duas datas, há 250 milhões de anos, o fim do período Permiano marcou a maior extinção em massa conhecida da história do planeta Terra (95% da vida na Terra). Von Frese pensa que a descoberta da cratera gigante poderá ter sido criada na altura certa é sugestiva, mas admite não ter provas. Outros cientistas sugeriram que uma estrutura perto da costa Australiana pode ser uma cratera de impacto ligada à Extinção Permiana.

Von Frese gostaria de visitar a Antártica para levar a cabo estudos gravitacionais e magnéticos usando um avião de longo-alcance. Tal expedição também permitiria aos geólogos ver se os glaciares drenando as bacias ao longo da cratera terão corroído e levado amostras de rocha para a costa.

O cientista também pensa ser possível o impacto ter despoletado a quebra do supercontinente Gondwana, que formou a Austrália, África e Índia. E nota que uma série de erupções vulcânicas na Sibéria estão localizadas no lado oposto do globo a partir da cratera.

Mas aceita que esta ideia é controversa e que os geólogos estão longe de concordar: "É um fenómeno pouco estudado."

Fonte: Centro de Ciência Viva do Algarve
« Última modificação: Janeiro 01, 1970, 01:00:00 am por PauloSantos »
Paços de Brandão/Stª Mª Feira

Latitude 40º 58\' 01"
Longitude -8º 34\' 59"
Altura 138m

Offline Miguel G

  • Astro-Curioso
  • **
  • Mensagens: 69
  • Karma: +0/-0
    • Ver Perfil
(sem assunto)
« Responder #1 em: Junho 12, 2006, 04:39:23 pm »
Fantástica esta notícia...isto abre, obviamente, novas possibilidades de explicação à extinção em massa de espécies do nosso planeta. E, se a cratera datar de há 100 milhões de anos isso significa que poderá, muito provavelmente, ter sido a causa da extinção dos nosso amigos reptéis gigantes :o
« Última modificação: Janeiro 01, 1970, 01:00:00 am por Miguel G »
"Mortal as I am, I know that I am born for a day. But when I follow at my pleasure the serried multitude of the stars in their circular course, my feet no longer touch the earth. "
                                        -Plato