Autor Tópico: Satélites da ESA ao serviço do combate dos Incêndios  (Lida 992 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Offline igomes

  • Astro-Principiante
  • ***
  • Mensagens: 337
  • Karma: +0/-0
    • Ver Perfil
Satélites da ESA ao serviço do combate dos Incêndios
« em: Maio 27, 2006, 04:15:10 pm »
Um pouco Off-Topic mas relacionado de certa forma com a astronomia ou pelo menos com o equipamento usado na Astronomia e de certo util para paises como Portugal que todos os anos são "massacrados" com os incêndios :




Já desde há uma década que os satélites da ESA têm vindo a fazer um levantamento contínuo dos incêndios que deflagram na superfície da Terra. Mapas-mundo de incêndios baseados nestes dados estão agora disponíveis on-line, para os utilizadores, em tempo quase real, através do Atlas Mundial de Incêndios ATSR da ESA.
 
O Atlas Mundial de Incêndios ATSR (WFA) – o primeiro atlas plurianual global de incêndios alguma vez desenvolvido – fornece dados aproximadamente seis horas após a aquisição e constitui um importante recurso científico, dado que os incêndios têm um papel significativo nas alterações ambientais.


   
Anualmente, ardem mais de 50 milhões de hectares de floresta, tendo estes incêndios um impacto significativo na poluição atmosférica global. A queima de biomassa contribui para as emissões globais de gases responsáveis pelo efeito de estufa, como o dióxido de carbono. Na última década, os investigadores compreenderam a importância da monitorização deste ciclo. De facto, actualmente os dados do WFA são sobretudo usados em estudos atmosféricos.

Quantificar os incêndios é importante para estudos em curso relativos às mudanças climáticas. O El Niño de 1998, por exemplo, ajudou a ‘encorajar’ incêndios no Bornéu que emitiram até 2,5 mil milhões de toneladas de carbono para a atmosfera, o equivalente à totalidade de emissões de carbono da Europa nesse ano.

Mais de 200 utilizadores registados acedem ao WFA. Os dados estão a ser utilizados na Europa, Ásia, América do Norte, América do Sul, África e Austrália para investigação no âmbito da química atmosférica, alterações no uso da terra, ecologia das mudanças globais, prevenção e gestão de incêndios e meteorologia.

A Universidade de Harvard, a Universidade de Toronto, o Centro Nacional da Atmosfera e a NASA, entre outros, têm utilizado os dados em publicações científicas. Até à data, existem mais de 100 publicações científicas baseadas nos dados do WFA.
     
Para além dos mapas, são fornecidos dados sobre a hora, a data, a longitude e a latitude dos pontos críticos. A base de dados vai desde 1995 até à actualidade, mas a cobertura anual completa começa a partir de 1997.

Os dados do WFA baseiam-se em resultados do radiómetro de digitalização ao longo do curso (Along Track Scanning Radiometer - ATSR) do satélite ERS-2 da ESA, lançado em 1995, e do radiómetro de digitalização avançada ao longo do curso (Advanced Along Track Scanning Radiometer - AATSR) do satélite Envisat da ESA, lançado em 2002.

Estes sensores radiométricos gémeos funcionam como termómetros no espaço, medindo a radiação térmica de infravermelhos para determinar a temperatura da superfície da Terra. Os incêndios são melhor detectados durante a noite local, quando a terra circundante está mais fria. As temperaturas que excedam os 312º K (38,85ºC) são classificadas como incêndios activos pelos ATSR/AATSR, que são capazes de detectar incêndios tão pequenos como as chamas de gás das zonas industriais, devido à sua alta temperatura.

O WFA é um projecto interno e do Programa de Utilizadores de Dados(DUP).
 


Fonte : ESA - Portugal
« Última modificação: Janeiro 01, 1970, 01:00:00 am por igomes »
Galactica M51 Team powaaaa \":)\"
Konichiwa mina-san ^^

Vendo : Clio 2 1.2 16V Expression - Cor Cinza Perola - 59000km - Revisão aos 52000km - Pneus novos - Inspeccionado ...Interessados contactem-me por Mensagem Privada...

[ur